Igreja Episcopal dos EUA decide hoje aprovação de bispo gay

O clérigo de New Hampshire que aspira tornar-se o primeiro bispo abertamente gay a ser eleito pela Igreja Episcopal terá sua sorte definida nesta segunda-feira numa reunião dos bispos de sua Igreja, em meio ao temor de que uma decisão positiva sobre o caso por parte dos bispos episcopalianos possa afastar os conservadores deste ramo americano da Igreja Anglicana, que reúne 77 milhões em todo o mundo.No domingo, a Casa dos Representantes, um corpo legislativo composto por clérigos e leigos espiscopalianos de todo o território americano, aprovou o reverendo V. Gene Robinson por 2 votos contra um; um comitê já o havia aprovado em votação secreta na sexta-feira. Hoje, a Casa dos Bispos dará a palavra final sobre a aprovação. Após ter sido aprovado pelos Representantes, Robinson disse que se regozijava ?com meus irmãos e irmãs gays e lésbicas e com todos os que trabalhavam pela inlusão total? dos homossexuais em sua Igreja.O aspirante a bispo apelou para que seus oponentes não abandonem a comunidade religiosa, mas disse que não será o responsável pelo afastamento dos que assim decidirem agir.?O que nos une é a nossa fé?, disse Robinson, um divorciado de 56 anos, pai de dois filhos.Seu companheiro nos últimos 13 anos, Mark Andrew, e sua filha, Ella, ficaram ao lado de Robinson durante a Convenção Geral Episcopal. A ex-mulher de Robinson também o apoiou. O Conselho Anglicano Americano, que representa os bispos e paroquianos conservadores, disse estar ?profundamente abalado? pela decisão adotada no domingo. Os bispos que consideram a prática homossexual um pecado argumentam que aprovar Robinson será dar uma aprovação tácita para a aprovação de homossexuais.O Conselho pretende reunir-se em outubro para decidir se abandonará a Igreja Episcopal ou tomará outra atitude. Seus seguidores na comunidade global de igrejas anglicanas associadas, dizem eles, também considerarão cortar os laços com essa comunidade se Robinson for aprovado. Os episcopalianos são o braço nos EUA da comunidade anglicana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.