Igreja venezuelana repudia críticas de Chávez

A Confederação Episcopal venezuelana rejeitou as acusações feitas pelo presidente Hugo Chávez, segundo as quais a Igreja Católica mente "descaradamente" e apóia a oposição. O presidente da Confederação Episcopal, bispo Baltazar Porras, fez pouco caso dos comentários e disse que o ataque do presidente tem por objetivo "desviar a opinião pública dos verdadeiros problemas vividos por nossa sociedade".O presidente acusou a cúpula católica venezuelana de ter se convertido em "voz da oposição" e de ser "imoral" e "indigna". Chávez fez as críticas durante seu programa dominical de rádio e televisão, "Alô Presidente"."Não sejam trapaceiros (...) usar uma batina para ser trapaceiro... Mentem descaradamente e sem vergonha diante de um país", disse o presidente, ao criticar um manifesto sobre a crise venezuelana distribuído pela Confederação Episcopal, no domingo, em todas as igrejas.Em uma referência direta a Porras, o presidente disse que "deveriam tirar-lhe a batina, ele não é digno de vestir a batina de um homem de Cristo". As autoridades católicas venezuelanas têm mantido relações tensas com o governo e não têm escapado das agressões verbais do presidente, que em uma outra oportunidade os chamou de "tumor".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.