Igreja venezuelana teme riscos para estabilidade do país

Líderes da Igreja Católica venezuelana alertaram ontem para o risco de que a estabilidade política do país seja afetada pelo agravamento do estado de saúde do presidente Hugo Chávez. A Conferência Episcopal Venezuelana criticou o governo chavista por não divulgar detalhes sobre o tratamento do presidente em Cuba, onde o líder bolivariano está internado desde 11 de dezembro. Os bispos venezuelanos disseram ainda, no comunicado, que a situação do país pode se deteriorar em um cenário potencialmente perigoso.

O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2013 | 02h10

"A estabilidade social e política do país está em risco", diz o texto, assinado pelo presidente da conferência, o bispo Diego Pavón. "Estamos em um momento histórico difícil e incerto, com esboços de uma situação complexa que pode levar o país a uma encruzilhada perigosa." Membros do governo venezuelano têm divulgado alguns comunicados esparsos sobre a saúde do presidente. No último deles, o ministro da Informação, Ernesto Villegas, declarou que Chávez sofre de "graves problemas respiratórios". / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.