Igrejas evangélicas latinas prosperam nos EUA

Líder da maior Assembleia de Deus americana, com 17 mil seguidores, Wilfredo de Jesus aumentou o dízimo para 15% a fim de custear novo templo

ADRIANA CARRANCA , ENVIADA ESPECIAL / CHICAGO, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2013 | 02h08

O endereço parece errado. O número 1147 da Avenida North Western está no coração da Vila Ucraniana, como é chamado o bairro de imigrantes cristãos católicos e ortodoxos do leste europeu na periferia de Chicago. Mas perto de 7h30, eles começam a chegar: mexicanos, nicaraguenses, guatemaltecos. Africanos e asiáticos, entre eles.

Alguns estão a pé, outros em ônibus com o logotipo de igreja evangélica latina cujo culto vieram assistir: New Life Convenant ou Pacto Nueva Vida.

A sede, a duas quadras dali, ficou pequena para eles. A solução está a caminho: um novo templo para 1,5 mil fiéis a um custo de US$ 9 milhões. Para pagar a obra, o pastor Wilfredo "Choco" de Jesus - "Choco", ele explica, um apelido de infância dado o amorenado de sua pele e o vício em chocolate - aumentou o dízimo de 10% para 15%. A primeira revelação que faz no início de cada culto é o valor arrecadado no domingo anterior: US$ 10.907,05. "Gloria a Diós!"

A igreja tem outros quatro endereços a cargo de pastores assistentes - entre eles, a mulher de Choco, pastora Elizabeth, que prega em espanhol. Ao todo 17 mil pessoas atendem os cultos dominicais, o que faz da New Life Convenant a maior Assembleia de Deus dos EUA - em 2000, quando assumiu sua liderança, a igreja não somava 100 fiéis em um único culto. É a primeira vez que uma igreja latina ultrapassa em tamanho as anglo-americanas da mesma denominação.

Com isso, o pastor Choco acaba de entrar para a lista de 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time, ao lado do argentino Papa Francisco, segundo a edição 2013.

"Com os hispânicos desempenhando papel tão grande na expansão da igreja evangélica nos EUA e sua vasta influência no cenário político, o pastor Choco é e continuará sendo uma forte e ardente voz no comando de nosso país", escreveu a Time.

Enquanto as protestantes tradicionais lutam para reter fiéis, as pentecostais crescem com o aumento de latinos nos EUA e de sua conversão do catolicismo, como ocorreu em seus países de origem.

Em Miami, Flórida, Guillhermo Mandonado, imigrante da Guatemala, e sua mulher, Ana, fundaram em 1996 o Ministério Internacional El Rey Jesus, no início um grupo de orações com 12 integrantes. A sede atual abriga 7 mil fiéis em 9,2 mil metros quadrados. É a maior igreja hispânica dos EUA, em tamanho, entre todas as religiões.

Em Santa Ana, Califórnia, os líderes da Iglesia Quadrangular el Calvario, que começou com um pequeno grupo de mexicanos em 1926, planejam uma nova igreja para 3 mil pessoas, além dos outros 75 endereços nos EUA e América Latina.

Em resposta, as tradicionais começam a se movimentar. A igreja Convenção Batista do Sul, maior denominação evangélica nos EUA, anunciou que abrirá 7 mil novas igrejas com cultos em espanhol até 2020. A Christianity Today, principal revista evangélica nos EUA, começou a ser editada em espanhol.

As igrejas brasileiras são parte do fenômeno. Edir Macedo, o bilionário fundador da Universal, tem oito templos nos EUA. Ele vendeu 72 mil cópias do novo livro no dia do lançamento, em junho, em Nova York, onde o cunhado, Valdomiro Santiago, da Igreja Mundial, acaba de abrir a 10.ª igreja, no Queens. Os fundadores da Renascer, Estevam e Sônia Hernandes, seguiam esse caminho, mas a Justiça americana ordenou que fechassem oito de seus nove templos nos EUA após serem presos ao entrar no país com US$ 56 mil não declarados em 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.