Ilha do Caribe condena assassino à morte na forca

A Corte Suprema da nação caribenha de St. Kitts & Nevis condenou um homem à morte na força pelo assassinato de um milionário britânico, Tony Fetherston. Um júri havia declarado o acusado, Joseph Hazel, culpado no início do mês. Os argumentos da promotoria basearam-se em provas científicas, como amostras de DNA. A defesa pediu a anulação do caso, dizendo que Hazel passou três anos na cadeia por conta de adiamentos indevidos do processo.A vítima foi morta a tiros no pátio de sua residência de férias nos arredores da capital, Basseterre, em 26 de janeiro de 2000. Ele era um ex-piloto militar e ex-executivo que vinha à ilha passar os invernos todo ano, há 15 anos.A última execução de um condenado à morte no Caribe ocorreu em 1999, em Trinidad. St. Kitts & Nevis é uma ex-colônia britânica de 40.000 habitantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.