Ilhas Cayman resgatam barco com 30 fugitivos cubanos

Navio partiu do sul da ilha e seguia para Honduras; refugiados disseram que fugiam de estagnação econômica em Cuba

Georgetown, Reuters/O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2014 | 02h08

Um barco com 30 refugiados cubanos chegou às Ilhas Cayman no domingo, informaram ontem autoridades locais. Resgatados pela Guarda Costeira, os passageiros disseram que vinham de Manzanillo, no sul de Cuba, e queriam chegar até Honduras. As Ilhas Cayman ficam no meio do caminho entre os dois países.

A bordo estavam desde adolescentes até aposentados. Os refugiados disseram ter decidido abandonar Cuba em razão das condições econômicas no país e afirmaram que as recentes reformas adotadas pelo regime de Raúl Castro, de abertura ao setor privado, não foram implementadas nas zonas distantes de Havana.

Depois de aportarem em East End, nas Ilhas Cayman, os cubanos receberam suprimentos e continuaram a viagem. Um acordo entre Cuba e as Ilhas Cayman, assinado em 1999, determina que as embarcações com imigrantes cubanos tenham permissão para passar pelas águas da região desde que não peçam ajuda.

Segundo funcionários do governo das Ilhas Cayman, um número maior de barcos de migrantes cubanos está sendo visto em suas águas - o que pode ser reflexo das mudanças nas leis americanas de imigração, que dificultam sua entrada nos EUA.

Com embarcações improvisadas ou lanchas rápidas, operadas por contrabandistas, os cubanos que tentam chegar aos EUA viajam frequentemente pelas águas de Cayman, território britânico que fica a menos de 100 quilômetros de Cuba. A rota favorece as embarcações que seguem para Honduras em razão dos ventos e correntes. O governo das Ilhas Cayman não tem números oficiais sobre o trânsito de cubanos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.