Imã da Universidade Al-Azhar condena repressão na Síria

A maior autoridade no Islã sunita, o grande imã da Universidade de Al-Azhar, o xeque Ahmed al-Tayeb, condenou a repressão política na Síria, a qual chamou de "tragédia" e pediu um fim imediato à violência do governo do presidente Bashar Assad. Al-Tayeb acredita que a situação foi muito longe e saiu do controle.

AE, Agência Estado

08 de agosto de 2011 | 14h08

"Al-Azhar foi paciente durante um longo tempo e evitou falar sobre a situação na Síria, por causa da natureza sensível da questão...mas a situação foi muito longe e não existe outra solução, a não ser colocar um ponto final nesta tragédia árabe e islâmica", disse o xeque Ahmed al-Tayeb em comunicado.

Fundada no século X da era cristã, a Universidade Al-Azhar do Cairo é considerada um dos mais importantes centros de estudos da literatura árabe e da religião islâmica.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.