Imã emite fátua contra escritora por crítica ao Islã

Um imã de Calcutá emitiu uma fátua (édito religioso) contra a escritora de Bangladesh Taslima Nasreen por seus comentários "anti islâmicos", informou nesta segunda-feira o diário "The Times of Índia".Syed Noor-Ul-Rehman-Barkati, o imã da mesquita Tipu Sultan, afirmou que havia emitido a fátua contra Nasreen na última sexta-feira e que premiará com 50 mil rupias "a quem a humilhe e a expulse do país".Em um recente seminário intitulado "A irrelevância da religião na era da tecnologia", a escritora disse que o Corão "contém contradições" e que "quando tinha oito anos minha mãe me disse que se insultasse a Alá eu seria castigada. Pois bem, eu o insultei e não me aconteceu nada".O imã se justificou dizendo que "estava pressionado a fazer alguma coisa, pois a população estava irritada" e acusou a escritora de interromper a harmonia social na Bengala Oriental. Segundo o clérigo muçulmano, a escritora "não tem direito de ferir os sentimentos dos muçulmanos com qualquer comentário sobre o profeta".A escritora, que vive em Calcutá com um visto de turista, respondeu que não estava "contra nenhuma religião e creio que o povo tem o direito de praticar a religião que quiser". "Só falo de assuntos da mulher e digo que homens e mulheres devem ser tratados como iguais", afirmou, e "se em alguma religião as mulheres são discriminadas, eu falo contra ela".O Governo de Bengala Ocidental proibiu, em novembro de 2003, o último livro de Nasrin, autora que foi expulsa de seu país e que teve vários livros proibidos em Bangladesh por seu conteúdo supostamente ofensivo ao Islã.Nasrin se exilou em 1994 após uma série de manifestações contra ela e ameaças de morte de grupos fundamentalistas islâmicos após ter publicado "Vergonha", novela em que descrevia os abusos que sofre a minoria hindu em Bangladesh.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.