Mehmet Aslan/ Reprodução/ Siena International Photo Awards
Mehmet Aslan/ Reprodução/ Siena International Photo Awards

Imagem de pai e filho vítimas da Guerra da Síria ganha prêmio de 'foto do ano'

Cena comovente de pai amputado brincando com filho sem nenhum dos membros foi descrita pelo júri do Siena Photo Awards como 'emocionalmente forte' e ficou com a principal premiação

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2021 | 13h42
Atualizado 29 de outubro de 2021 | 15h28

O momento captado é comovente: apoiado em uma muleta com parte do que lhe restou da perna direita, um pai brinca com o filho, que não tem nenhum dos membros completo, jogando-o para cima, enquanto sorriem juntos. Foi esse instante capturado pelas lentes do fotógrafo turco Mehmet Aslan que levou o prêmio de "Foto do Ano" no Siena International Photo Awards.

A cena foi registrada no sul da Turquia, perto da fronteira com a Síria. O homem na foto é Munzir al-Nazzal, um pai de três filhos que perdeu a perna após uma bomba ser detonada em Idlib, cidade síria onde vivia com a família. O menino na imagem é Mustafa al-Nazzal, o mais velho dos filhos de Munzir.

Mustafa não perdeu os braços em pernas em um bombardeio como o pai, mas o quadro de tetra-amelia congênita que fez a criança nascer sem os membros também é decorrente da Guerra da Síria. Quando estava grávida, a mãe do menino precisou tomar um medicamento - apontado como fator que desencadeou o quadro do filho - após adoecer ao inalar um agente nervoso utilizado no conflito.

Em entrevista ao The Washington Post, o fotógrafo contou ter conhecido os pais de Mustafa já na Turquia, para onde o casal se mudou na tentativa de ajudar para o filho - que precisa de tratamento médico que os pais não podem pagar totalmente e de próteses especiais que eles não conseguem encontrar na Turquia.

"Queríamos chamar a atenção para isso", disse Aslan, que espera que a imagem destaque a busca da criança refugiada por próteses. "O menino sempre tem muita energia. O pai parece ter desistido".

Também ao Post, o pai de Mustafa, Munzir, disse ter ido a todos os hospitais que encontrou em diversas cidades, nas não encontrou uma forma de providenciar as próteses para o filho. "Eu juro que fui de um hospital para outro", afirmou. E completou: "Ele é assim, mas é muito, muito inteligente", disse o pai, enquanto o menino sorria e rolava no tapete, antes que sua irmã o pegasse e colocasse no sofá. 

A família al-Nazzal depende principalmente da caridade há mais de três anos, desde que escaparam de Idlib e se refugiaram no sul da Turquia, onde outros milhões de refugiados buscou abrigo. O fotógrafo Mehmet Aslan espera que a imagem também ajude a aliviar uma reação contra as comunidades de refugiados na Turquia, onde alguns as culpam por problemas econômicos.

Intitulada "Dureza da vida", que os jurados descreveram como "emocionalmente forte", a imagem será exposta com outras fotos selecionadas pelo juri em uma exposição na Itália neste mês.

"A imagem chegou ao mundo", disse a mãe do Mustafa, Zeinab. "Há anos tentamos fazer com que nossas vozes sejam ouvidas por qualquer pessoa que queira ouvir, para ajudar no tratamento dele. Daríamos tudo para dar a ele uma vida melhor"./ W. Post

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.