Imagem dos EUA no mundo árabe tem queda recorde

A aprovação do presidente americano, Barack Obama, caiu no mundo árabe nos últimos dois anos, e a popularidade dos Estados Unidos chegou a atingir, em algumas nações de maioria muçulmana, patamares inferiores aos de quando George W. Bush ocupava a Casa Branca. Segundo pesquisa realizada em seis países árabes pelo Instituto Zogby, em parceira com o Instituto Árabe-Americano, a principal causa da queda ao apoio a Obama é a "ocupação das terras palestinas", seguida pela interferência dos americanos no mundo árabe.

AE, Agência Estado

14 de julho de 2011 | 08h28

Para 95% dos entrevistados no Egito - onde Obama fez, há dois anos, seu discurso para os muçulmanos -, a imagem dos EUA é desfavorável. Na Jordânia e na Arábia Saudita, dois aliados de Washington no Oriente Médio, os números de desaprovação são 88% e 68%, respectivamente. Nos Emirados Árabes Unidos, a impopularidade americana atinge 77%, mesmo porcentual do Líbano. No Marrocos, 88% desaprovam os EUA.

Irã, China, França e Organização das Nações Unidas (ONU) possuem números melhores do que os EUA, mas o país mais popular entre os apresentados aos entrevistados é a Turquia.

Os números são ainda mais desfavoráveis para Obama. No Líbano, um país conhecido por suas divisões religiosas, 99% disseram que o presidente americano não correspondeu às expectativas. A maior parte dos marroquinos (88%), dos egípcios (90%), dos jordanianos (94%) e dos sauditas (77%) concorda com os libaneses. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.