Imagens de satélite convenceram EUA sobre ataques

Autoridades norte-americanas disseram que uma série de dados de inteligência não revelados anteriormente convenceram os EUA de que o regime do presidente sírio, Bashar Assad, usou armas químicas contra seu próprio povo. As evidências incluem imagens de satélite e gravações de conversas.

AE, Agência Estado

28 de agosto de 2013 | 07h28

De acordo com as fontes, os dados também mostram que o regime sírio tentou encobrir evidências do uso das armas. A Casa Branca também foi convencida de que o governo de Assad estava protelando a inspeção da ONU para atrasar a resposta dos EUA.

Uma parte crucial dos dados veio dos serviços de espionagem israelenses, que apresentaram informações de dentro de uma unidade especial de elite da Síria que supervisiona armas químicas de Assad. Segundo diplomatas árabes, os dados, que a CIA foi capaz de verificar, mostraram que certos tipos de armas químicas foram deslocadas com antecedência para os mesmos subúrbios de Damasco onde a ofensiva supostamente ocorreu há uma semana.

Os dados de inteligência e os atrasos enfrentados pela equipe da ONU foram analisados pelas autoridades no fim de semana. Além disso, assessores do presidente dos EUA, Barack Obama, também revisaram imagens de satélite que, segundo as fontes, mostraram como o contínuo bombardeio na região apagou evidências do uso de armas químicas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
síriaarmas químicaseuaprovas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.