Imigração e economia são prioridade para latinos nos EUA, mostra pesquisa

Fatores serão determinantes para a escolha de candidatos nas eleições de 2012

Efe

09 de junho de 2011 | 21h26

Imigrantes ilegais sofrem com deportações e dificuldades econômicas nos EUA

 

WASHINGTON - A maioria dos eleitores de origem latina que habitam nos Estados Unidos considera que a imigração e a economia são os temas de maior importância para sua comunidade quando consideram em quem votar nas eleições gerais de 2012, informa uma enquete divulgada nesta quinta-feira, 9.

 

A pesquisa, realizada pelos institutos Latino Decisiones e impreMedia, indicou que 51% dos eleitores consideram a reforma migratória o assunto "mais importante" da comunidade latina, enquanto a economia e os empregos ocupam o segundo lugar com 35%. A educação é a terceira preocupação dos latinos, citada por 18%.

 

"A imigração é um assunto muito pessoal para os latinos porque é muito próximo deles, dos seus amigos, dos parentes e de sua comunidade", disse em comunicado Mónica Lozano, principal executiva da impreMedia e editora do jornal La Opinión, um dos principais meios de comunicação hispânicos nos EUA.

 

No total, 74% dos entrevistados disse apoiar políticas para "frear a deportação de qualquer imigrante ilegal que não tenha cometido algum crime e esteja casado com um cidadão americano ou residente legal". Já 64% respaldam a suspensão das deportações de estudantes imigrantes ilegais que não tenham antecedentes penais. Ainda, 60% querem o fim da expulsão de pais de menores de 18 anos que não tenham cometido delitos.

 

A enquete é divulgada no momento em que o presidente Barack Obama inicia sua campanha de reeleição para 2012, que inclui uma estratégia para ganhar votos de imigrantes e americanos de origem latina, como fez em 2008. Na próxima terça-feira, ele viaja para Porto Rico, no que será a primeira visita oficial de um líder americano à ilha em 50 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.