Imigrantes africanos protestam contra mortes na Itália

Centenas de imigrantes africanos protestaram hoje contra um suposto assassinato de imigrados de países da África pela Camorra, a máfia napolitana, em Castel Volturno, uma cidade 30 quilômetros ao norte de Nápoles. Os imigrantes quebraram vidraças, bloquearam o tráfego e foram dispersos pela polícia.Imagens do canal Sky TV24 mostraram os imigrantes em protesto, bloqueando o trânsito da pequena cidade, que foi palco da chacina dos imigrantes. Os seis imigrantes, naturais de Gana, Togo e Libéria, foram mortos a tiros no dia 11 de setembro, no que as autoridades locais afirmam ter sido um crime da Camorra - eles teriam morrido porque tentaram vender drogas em um território onde a máfia controla o tráfico.As vítimas foram mortas a tiros quando estavam na frente de uma loja que vende produtos africanos em Castel Volturno. Um sétimo imigrante sobreviveu aos disparos e está em tratamento em um hospital, informou a agência Ansa. Os manifestantes e a comunidade africana na região negam que as vítimas estivessem envolvidas no tráfico de drogas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.