Imigrantes árabes no Paraguai pedem mediação da Igreja Católica

A comunidade de imigrantes libaneses, jordanianos, sírios e sauditas de Ciudad del Este pediu nesta segunda-feira a mediação da Igreja Católica "para evitar que a polícia continue cometendo abusos".Os supostos abusos policiais foram registrados após os ataques terroristas de 11 de setembro contra os Estados Unidos.Ahmad Khalil Chams - detido na última sexta-feira em sua loja de produtos eletrônicos e liberado em seguida ao comprovar-se não ser ele a pessoa que a polícia procurava - disse hoje: "Pedimos a intervenção do monsenhor Ignacio Cogorza para impedir esta caça às bruxas".Em declarações à Rádio Montecarlo, Chams afirmou que "é uma lástima para o sistema de direito paraguaio que os policiais cheguem às lojas dos árabes com metralhadoras, com o rosto encoberto, remexam os estoques e peguem documentos pessoais e fotografias familiares procurando, supostamente, por terroristas".E acrescentou: "Milhares de árabes de diversas nacionalidades vivem em Ciudad del Este, mas estou seguro de que, se existisse um terrorista aqui, nós o denunciaríamos, porque nos dedicamos somente ao trabalho, não à delinqüência."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.