JAIME REINA / AFP
JAIME REINA / AFP

Imigrantes fogem pela pista na Espanha após pouso de emergência

Assim que médicos entraram no avião, imigrantes correram porta afora; homem que simulou problema de saúde foi preso

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2021 | 21h00

PALMA DE MALLORCA, ESPANHA - Era sexta-feira e tudo parecia normal no voo 3O437 da Air Arabia. Eram quatro horas de viagem de Casablanca, no Marrocos, para Istambul, na Turquia.

O Airbus A320 havia decolado no horário e voava em velocidade de cruzeiro quando um passageiro passou mal e obrigou o piloto a fazer um pouso de emergência em Palma de Mallorca, na Espanha. A partir daí, foi um deus nos acuda.

A aeronave parou e, assim que os médicos entraram, um grupo de passageiros saiu correndo porta afora. A polícia espanhola assistiu a tudo incrédula, sem conseguir processar imediatamente o que estava acontecendo.

Pelo asfalto, cerca de 20 imigrantes ilegais escaparam correndo e pularam as cercas. “É comum recebermos solicitação para pousos de emergência, quando um passageiro está doente e o piloto acredita que é importante pousar”, disse Aina Calvo, principal autoridade do governo espanhol nas Ilhas Baleares. “O que não é normal e inédito, é 20 pessoas saírem correndo pela pista do aeroporto.”

Na verdade, o grupo era formado por bem mais do que 20 imigrantes. Um deles, como ficou comprovado mais tarde, era um marroquino que teria simulado um coma diabético. No domingo, 7, a polícia espanhola havia capturado ao menos 12 imigrantes fujões. Um deles foi flagrado caminhando na estrada que liga o aeroporto à cidade de Manacor. O restante ainda está foragido.

O aeroporto de Palma de Mallorca teve de ser fechado por algumas horas e 13 voos tiveram de ser desviados até que as operações pudessem ser retomadas, no início da madrugada de sábado. “O aeroporto está funcionando normalmente, mas o sentimento é geral: o que aconteceu não pode se repetir e as autoridades precisam rever seus protocolos para garantir a segurança de todos”, afirmou Francina Armengol, chefe de governo das Baleares. 

Daniel Zamit, porta-voz do Sindicato dos Controladores de Tráfego Aéreo da Espanha, classificou o incidente de “grave violação da segurança” e disse que os protocolos em vigor seriam revisados. A polícia investiga se a fuga do grupo foi espontânea ou, como aparenta, uma trama elaborada para imigrar ilegalmente para a Europa.

O marroquino que teria simulado o coma diabético foi levado para um hospital, onde foi examinado. Depois que os médicos constataram que ele estava bem, ele foi preso por entrar ilegalmente na Espanha. No entanto, segundo a agência de notícias EFE, o outro passageiro que o acompanhava desapareceu.

De acordo com autoridades espanholas, o número total de passageiros envolvidos em várias confusões no voo da Air Arabia chega a 24, incluindo uma pessoa detida por comportamento agressivo dentro do avião. / EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Espanha [Europa]imigração

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.