Imigrantes são assaltados por supostos policiais no México, diz sacerdote

Imigrantes foram interceptados em trem de carga, assaltados e vítimas de abusos

Efe

11 de setembro de 2010 | 22h12

IXTEPEC - Cerca de cem imigrantes centro-americanos foram assaltados por supostos policiais no estado de Oaxaca, sul do México, quando viajavam em um trem, e repatriados a seus países de origem, denunciou neste sábado, 11, o sacerdote Alejandro Solalinde.

 

O também diretor do albergue para emigrantes Irmãos do Caminho explicou à imprensa que após o ataque, ontem à noite no município de Chahuites, os imigrantes ilegais foram colocados em ônibus e levados para Tapachula, localidade do estado de Chiapas na fronteira com a Guatemala.

 

Segundo Solalinde, um destacado defensor dos direitos dos imigrantes ilegais que passam pelo sul do México, os emigrantes viajavam em um trem de carga de Arriaga, em Chiapas, para Veracruz, quando foram interceptados, assaltados e vítimas de abusos por parte de algumas autoridades mexicanas.

 

Ao local chegaram funcionários do Instituto Nacional de Migração que colocaram a maioria dos imigrantes em ônibus e os levaram para a fronteira com a Guatemala.

 

O sacerdote conheceu os fatos graças a que oito dos imigrantes ilegais conseguiram escapar da operação contra eles e chegaram ao albergue Irmãos do Caminho Cidade Ixtepec.

 

Solalinde disse que não é a primeira vez que policiais estão envolvidos no assalto a migrantes, afirmando que em numerosas ocasiões denunciou os fatos, mas "nenhuma (de suas ações legais) prosperou".

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicoimigrantesviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.