AFP PHOTO / Anthony WALLACE
AFP PHOTO / Anthony WALLACE

Imitador de Kim se prepara para reunião histórica em Cingapura

Sósia do líder norte-coreano foi convidado para 'cúpula alternativa' com Donald Trump falso; objetivo é estimular a discussão política por meio da sátira

O Estado de S.Paulo

07 Junho 2018 | 14h57

HONG KONG - Donald Trump e Kim Jong-un não são os únicos que se preparam para a cúpula história entre EUA e Coreia do Norte em Cingapura no dia 12. O dia também será importante para um dos mais famosos imitadores do líder norte-coreano: Howard X. Ele participará de uma "cúpula paralela" ao encontro diplomático oficial.

+ Casa Branca confirma reunião entre Trump e Kim no dia 12 às 9h

+ Endereço da cúpula entre Trump e Kim em Cingapura é escolhido

O imitador, que mora em Hong Kong, não teve tempo para ficar entediado nos últimos meses. Ele esteve, dentre outros lugares, nos Jogos Olímpicos de Inverno em Pyeongchang, ao lado de um sósia de Donald Trump. Howard chegou a ser preso pela polícia sul-coreana durante o evento. Diante da delegação de líderes de torcida norte-coreanas, ele começou a dançar e agitar a bandeira do país.

Mas desta vez, o imitador foi contratado por um hotel em Cingapura junto com o imitador de Trump para a participar de uma falsa cúpula. Seu objetivo é incentivar que as pessoas falem de política por meio da sátira. Howard, no entanto, reconhece que tanta irreverência é motivo de preocupação para sua família. "A primeira coisa que me disseram foi 'que não te matem'", afirmou, acrescentando que a mãe contratou um seguro de vida para ele.

Nascido em Hong Kong e criado na Austrália, Howard leva o mimetismo ao limite e, assim como Kim, não confirma sua idade. Ele começou a atuar como sósia do líder norte-coreano quando ainda era músico, mas desde 2012 a imitação se tornou sua atividade principal.

Antes de cada apresentação, Howard se maquia e depila as sobrancelhas. O mais difícil, ele diz, é fazer o penteado "estilo Kim". "Dá pra dizer que eu tive sorte com esse rosto", brinca. "Kim Jong-un é um presidente vitalício, ao contrário de um presidente americano, ou um primeiro-ministro. Tenho uma carreira longa e frutífera diante de mim", ironiza.

Atualmente, Howard ganha a vida apenas como sósia - ele atua em shows, filmes e propagandas. Mas desaprova o autoritarismo de Kim. "Ele tem controle total, de corpo e alma, sobre a sua população."

Mais conteúdo sobre:
Coreia do Norte [Ásia] Kim Jong-un

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.