"Impávido", Bush diz que tempo do Iraque está se esgotando

O presidente dos EUA, George W. Bush, respondeu hoje, em dois episódios, às críticas dos países aliados sobre um possível ataque ao Iraque. Pelo porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, Bush disse que permanece "impávido" diante da rejeição e daresistência de alguns membros do Conselho de Segurança da ONU em relação à hipótese de recorrer ao uso da força contra o IraqueQuestionado especificamente sobre os comentários do ministro de Relações Exteriores da França, Dominique de Villepin, no qual ele diz que a França tentaria bloquear uma nova resolução da ONU exortando um ataque contra o Iraque, Bush expressou frustração. O presidente norte-americano disse que "certamente" os aliados dos EUA podem ver que o Iraque não está se desarmando e "certamente" eles podem reconhecer a ameaça que o Iraque representa para o Ocidente.Bush disse que está claro que o Iraque não está desmantelando seu programa para desenvolver armas de destruição em massa e alertou que o tempo está acabando para o governo de Bagdá, se este quiser evitar uma guerra. "Ele não está se desarmando. Na realidade, parece ser uma repetição de um filme ruim. Ele está adiando, ele está enganando, ele está pedindo mais tempo, ele está brincando de esconde-esconde com os inspetores", disse Bush sobre o presidente do Iraque, Saddam Hussein. "O tempo está acabando. Eu acredito em nome da paz que ele deve ser desarmado, e nós vamos liderar uma coalizão de nações dispostas a desarmá-lo. Não se enganem sobre isso, ele será desarmado", acrescentou Bush. Contudo, quando questionado sobre quando ele tomaria a decisão de que um ataque militar é necessário e justificado, Bush esquivou-se da pergunta dizendo que ele deixaria as pessoas saberem quando a hora chegar. O presidente norte-americano também evitou responder a pergunta sobre quais nações irão juntar-se aos EUA num ataque contra o Iraque. "É importante para os cidadãos norte-americanos e cidadãos do mundo entenderem que Saddam Hussein possui algumas das mais mortais armas do mundo. Ele representa uma série ameaça para a América e nossos amigos e aliados", disse Bush. Ele acrescentou que, em sua opinião, Saddam recebeu um período "amplo de tempo" para se desarmar e acrescentou que dar mais tempo ao Iraque não faz muito sentido. "Esse negócio sobre mais tempo. Quanto mais tempo nós precisamos?", perguntou Bush.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.