Imperador do Japão visita área devastada por tsunami

Akihito foi a centro de ajuda a desabrigados na província de Asahi

Agência Estado

14 de abril de 2011 | 21h11

Imperador conversa com japoneses que perderam casas no tremor.

 

TÓQUIO - O imperador japonês, Akihito, esteve nesta quinta-feira, 14, na região devastada pela catástrofe de 11 de março pela primeira vez. Em Asahi, que registrou 13 mortes e teve 3 mil residências danificadas, Akihito foi a um terreno onde antes da tragédia havia uma casa e visitou dois centros de ajuda para desabrigados.

 

Veja também:

especial Infográfico: Entenda o terremoto maiores tragédias dos últimos 50 anos

especial Especial: A crise nuclear japonesa

blog Arquivo Estado: Terremoto devastou Kobe em 1995

 

Depois de uma breve trégua política, a oposição ao primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, passou hoje a exigir sua renúncia, acusando-o de falta de habilidade em lidar com a catástrofe e a posterior crise nuclear. "Chegou a hora de (Kan) decidir se vai ou se fica", disse Sadakazu Tanigaki, líder do Partido Liberal Democrático.

 

O número oficial de mortos subiu hoje para 13.439 e o de desaparecidos chega a 14.867, segundo a emissora pública de televisão NHK. Também hoje equipes de resgate iniciaram uma operação de busca no raio de 10 quilômetros da central nuclear de Fukushima, no Japão.

 

As autoridades japonesas estimam que até mil corpos de vítimas do terremoto seguido de tsunami de 11 de março possam ser localizados. Hoje, dez cadáveres foram encontrados, segundo informou a TV japonesa NHK. Usando máscaras e trajes antirradiação, os mais de 300 policiais e bombeiros encontraram os corpos dentro de carros e debaixo de escombros. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.