Reuters
Reuters

Imprensa chinesa diz que mulher de ex-líder político confessou assassinato

Detenção de Gu Kailai e a deposição de marido, Bo Xilai, deram início ao maior escândalo político no país

AE, Agência Estado

10 de agosto de 2012 | 14h30

PEQUIM - A imprensa estatal chinesa disse nesta sexta-feira, 6, que Gu Kailai, mulher do ex-secretário do Partido Comunista em Chongqing, Bo Xilai, confessou o assassinato do empresário britânico Neil Heywood e pediu desculpas pela "tragédia" que causou.

Veja também:

linkChina julga mulher de ex-líder do PC em 6 horas

linkTermina o julgamento da esposa do ex-líder político chinês Bo Xilai

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

A agência oficial de notícias Xinhua divulgou seu mais detalhado relato sobre o caso, segundo o qual Gu e seu comparça "confessaram o assassinato intencional" durante o julgamento, realizado na quinta-feira. Eles foram acusados de envenenar Heywood em novembro, após uma desavença sobre questões econômicas.

A detenção de Gu e a deposição de seu marido, Bo, como secretário-geral do PC em Chongqing em março deram início ao maior escândalo político na China desde os protestos da Praça da Paz Celestial, em 1989. Seu julgamento foi uma forma de resolver o escândalo antes da transição da liderança do partido, no final deste ano.

No dia 7 de agosto, o jornal de Hong Kong South China Morning Post publicou que Gu havia confessado o assassinato de Heywood.

As informações são da Associated Press.

 

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaGu Kailaiassassinatoconfissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.