Imprensa chinesa ignora tema de direitos humanos

A cobrança de respeito aos direitos humanos feita pelo presidente Barack Obama a seu colega Hu Jintao na quarta-feira em Washington foi ignorada na cobertura da imprensa oficial chinesa, que deu enorme destaque à visita do líder comunista aos EUA, mas preferiu enfatizar as coincidências e atenuar as divergências.

Cláudia Trevisan, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2011 | 00h00

A grande manchete de ontem tratava da proposta apresentada por Hu a Obama para fortalecer os laços bilaterais. Refletindo a predileção dos dirigentes de Pequim por slogans que carregam números, a doutrina tem cinco pontos, entre os quais está o respeito às diferenças.

Com esse item, os chineses tentam neutralizar as críticas americanas ao desrespeito aos direitos humanos no país, que passaria a ser enquadrado entre os elementos que distinguem as duas nações.

A mídia oficial chinesa não mencionou o discurso de Obama em defesa de valores universais, mas registrou a declaração de Hu de que o seu governo tem o compromisso de proteger os direitos humanos.

Hu ressaltou que há uma série de desafios em relação ao desenvolvimento econômico e social e reconheceu que muito precisa ser feito na questão dos direitos humanos.

A expectativa do governo chinês com a visita é inaugurar uma nova fase no relacionamento entre as duas maiores economias do mundo, que reflita o peso adquirido pela China no cenário global depois da crise econômica de 2008.

"Enquanto os dois lados mantiverem diálogo e cooperação, tratarem um ao outro de maneira objetiva e racional e respeitarem mutuamente as escolhas de sistemas sociais e caminhos para o desenvolvimento, bem como a soberania, a integridade territorial e os interesses de desenvolvimento, os laços bilaterais estarão no trilho correto", disse Hu a Obama, segundo a agência oficial de notícias Nova China.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.