Imprensa chinesa não informa sobre Liu Xiaobo

Nenhum jornal, revista ou agência de notícia noticiou a concessão do Nobel da Paz

Efe

11 de outubro de 2010 | 01h08

PEQUIM

Três dias depois de o Prêmio Nobel da Paz ter sido concedido ao intelectual chinês preso Liu Xiaobo, os meios de comunicação continuam sob uma ferrenha censura sem divulgar notícia alguma a respeito, exceto a oficial de qualificar a concessão como uma "blasfêmia".

 

Nenhum jornal, revista, agência de notícias, rádio ou televisão do país mencionou no domingo, 10, a distinção de seu concidadão enquanto continuam os cortes em redes internacionais, como CNN e BBC, quando se menciona o prêmio.

 

Por outro lado, o bloqueio também se estende na internet: a busca das palavras Liu Xiaobo bloqueiam o servidor e se impede o acesso às notícias internacionais sobre o Nobel da Paz.

 

Também não estão livres os portais e foros de opinião mais populares da China, onde os administradores eliminam rapidamente qualquer menção ao dissidente premiado.

Tudo o que sabemos sobre:
Nobel da PazLiu Xiaobocensura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.