Imprensa é proibida de acompanhar as reuniões de Sarah com Karzai e Uribe

A campanha do republicano John McCain proibiu ontem os jornalistas de acompanharem os encontros da candidata a vice da chapa, Sarah Palin, com os presidentes do Afeganistão, Hamid Karzai, e da Colômbia, Álvaro Uribe. A agência Associated Press fez um protesto formal à campanha e a rede CNN, responsável pela captação das imagens de TV, ameaçou tirar sua equipe da cobertura. Os estrategistas de McCain, então, cederam e permitiram a entrada apenas de fotógrafos e de um produtor de TV. Repórteres de jornais e revista ficaram de fora - o que é incomum em reuniões desse tipo.A conversa entre Palin e Karzai, porém, só pôde ser acompanhada por 30 segundos. Os dois falaram sobre assuntos familiares. Karzai contou do nascimento de seu filho. Em seguida, os jornalistas foram acompanhados para fora da sala. O mesmo aconteceu na reunião entre Palin e Uribe, realizada pouco depois. Quatro pesquisas da Universidade Quinnipiac, divulgadas ontem, mostraram o democrata Barack Obama à frente de McCain em quatro Estados-chave: Michigan (48% a 44%), Colorado (49% a 45%), Wisconsin (49% a 42%) e Minnesota (47% a 45%). PESQUISAS4 pontos porcentuaisÉ a diferença em favor de Obama em Michigan (48% a 44%)7 pontos porcentuaisÉ a diferença em favor de Obama em Wisconsin (49% a 42%)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.