Imprensa iraquiana omite rejeição parlamentar a texto da ONU

Todos os jornais iraquianos omitiram nesta quarta-feira o fato de o Parlamento do país ter rejeitado a resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre as inspeções de armas, informando apenas que a assembléia afirmou sua confiança no presidente Saddam Hussein para responder à questão da forma que achar conveniente. Na tarde de hoje, o Iraque aceitou a nova resolução da ONU, impondo duras regras para as inspeções de armas no país, informou o embaixador iraquiano nas Nações Unidas.A brecha entre o que se informa ao povo iraquiano e o que o Parlamento decidiu ontem - uma recomendação para que Saddam repudiasse a resolução - poderia significar que Saddam acreditava não ter outra saída a não ser aceitar a resolução, mas preparava-se para fazê-lo da forma menos dolorosa possível.A informação é cuidadosamente controlada no Iraque. A votação, transmitida ao vivo pela televisão via satélite, foi considerada um desafio à comunidade internacional, mas não foi noticiada hoje pela televisão iraquiana. Antenas parabólicas são proibidas no Iraque.A agência de notícias estatal INA informou apenas que o Parlamento deixou a cargo de Saddam decidir como responder à resolução da ONU.No entanto, muitos iraquianos tiveram acesso à informação por meio de serviços de rádios internacionais em árabe, como a BBC.Nas ruas de Bagdá nesta quarta-feira, o operário Salman Mahmoud dizia ter ouvido a notícia no serviço em árabe da Rádio Monte Carlo."Não importa se iremos acatar ou rejeitar a resolução da ONU, pois, de qualquer forma, os Estados Unidos acabarão atacando o Iraque", lamentou, horas antes de o Iraque anunciar sua aceitação à resolução.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.