Korea Summit Press Pool via AP, File
Korea Summit Press Pool via AP, File

Imprensa norte-coreana destaca acordo de paz, mas não foca em desnuclearização

Reportagem da agência estatal KCNA enfatiza resultado da cúpula intercoreana e os acordos pela estabilidade na região, porém não informa se Pyongyang tem intenção de cumprir acordo

O Estado de S.Paulo

28 Abril 2018 | 03h53

SEUL – A imprensa estatal da Coreia do Norte destacou neste sábado, 28, os compromissos pela paz firmados por Pyongyang e Seul na cúpula intercoreana de sexta-feira, 27. Apesar de mencionar a desnuclearização, a reportagem não diz se Pyongyang tem intenção de cumprir acordo.

“A Coreia do Norte e a Coreia do Sul tiveram uma cândida e mútua discussão sobre problemas em comum e afirmaram o compromisso de melhorar as relações entre os dois países, garantindo a paz e a desnuclearização da península coreana”, informou a agência estatal norte-coreana “KCNA”.

+ Coreias prometem firmar paz este ano e desnuclearizar região, sem dizer como​

+ Bastidores da cúpula coreana: sorrisos e apertos de mão

Nesta sexta-feira, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, selaram acordo para conseguir "a completa desnuclearização" da península e formalizar o fim do estado de guerra entre os dois países. Segundo o governo sul-coreano, a cúpula resultou em um ponto de partida para a estabilidade da região.

+ 'Guerra da Coreia vai acabar', tuíta Trump, elogiando encontro dos líderes Kim e Moon Jae-in

Apesar do avanço diplomático, a reportagem da KCNA destaca apenas as relações intercoreanas pela paz e alguns pontos discutidos na cúpula, sem se aprofundar no tema da desnuclearização ou informar se Pyongyang realmente tem a intenção de cumprir a promessa de cessar os testes nucleares. 

+ Acervo: Coreias pararam de guerrear em 1953

A mídia norte-coreana, parte fundamental da estratégia de propaganda do regime, sempre louvou o programa nuclear do país, considerando-o motivo de orgulho dos cidadãos. //EFE, REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.