Imprensa russa vê Putin como mais um refém dos chechenos

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, transformou-se num "refém" político dos guerrilheiros chechenos, acreditam analistas russos. "Os terroristas fizeram centenas de reféns. Entre eles, está a carreira política de Putin", opinou o jornal Moskovski Komsomoletz. Segundo o diário, o presidente também poderá transformar-se em vítima de um eventual uso da força para libertar os reféns dos guerrilheiros no Teatro Dubrovka, em Moscou.O jornal Izvestia tem a mesma opinião e afirma que "só um milagre fará com que Putin escape ileso desta situação". A Nevasimaya Gazeta sublinhou que a ação dos rebeldes consistiu um "duríssimo golpe contra a reputação de Putin". Segundo analistas, Putin deve agora transformar-se em estadista para manejar a situação e decidir o que fazer com uma Chechênia que não quer fazer parte da Federação Russa.Para os analistas, Putin tem duas opções: fazer como Charles de Gaulle, que reconheceu a independência da Argélia para salvar a França; ou como Josef Stalin, que decidiu pela deportação de populações inteiras, inclusive a chechena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.