Imprensa turca especula antecipação de eleições legislativas

A imprensa turca destacou neste sábado a dura mensagem divulgada ontem pelo Exército, defendendo o laicismo durante o processo de sucessão presidencial, e especulou a convocação antecipada de eleições legislativas.Na declaração, o Exército turco ressaltou a sua condição de "incondicional defensor do secularismo", em alusão à candidatura presidencial do atual ministro de Relações Exteriores, o moderado islâmico Abdullah Gül. Ele concorre sozinho ao cargo."Primeiro-ministro pode convocar eleições antecipadas a qualquer momento", "Um duro movimento dos militares" e "Movimento secularista do Estado-Maior" são algumas das manchetes dos jornais.O jornal de maior tiragem do país, o "Hurriyet", diz que o chefe de Governo, Recep Tayyip Erdogan, decidiu, depois da primeira votação no Parlamento, antecipar as eleições para agosto.Farouk Bildirici, comentarista político do jornal, disse que o Governo tem duas opções. "Ou continua a eleição presidencial e desafia o Exército ou convoca eleições legislativas antes de escolher um presidente. A primeira opção é mais improvável. Espero eleições gerais antecipadas", previu.Os militares se mostram preocupados com o debate sobre o laicismo e sublinham que o "esforço mascarado do islamismo" contra a República secular se transformou num "desafio aberto ao Estado". O documento avisa que o Exército não hesitaria nem por um segundo em cumprir as suas "obrigações legais" de defender a República. Os analistas disseram que a advertência feita pelo Exército se aproxima da retórica anterior ao golpe militar de 1980.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.