Inauguração de usina nuclear iraniana será adiada, diz Rússia

Obras atrasaram por falta de pagamento do Irã e suspeitas de que programa teria também objetivos militares

Efe,

16 Novembro 2009 | 09h41

O ministro da Energia da Rússia, Serguei Shmatkó, anunciou nesta segunda-feira, 16, que a primeira usina nuclear iraniana (Bushehr), que engenheiros russos constroem às margens do Golfo Pérsico, não entrará em funcionamento este ano como estava previsto.

 

"Alcançaremos grandes resultados no final deste ano, mas a central atômica não entrará em funcionamento", disse Shmatkó, citado pela agência de notícias local Interfax. Recentemente, a Rosatom (agência nuclear russa) assegurou que a usina iraniana de mil megawatts começaria funcionar no final de 2009.

 

As obras de construção da usina, que especialistas russos constroem com o aval da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), sofreram nos últimos anos vários atrasos devido à falta de pagamento do Irã e por suspeitas do Ocidente de que o programa atômico iraniano teria também objetivos militares.

 

A Rússia sempre sustentou que o Irã deu garantias escritas adicionais de que o combustível seria utilizado exclusivamente na central nuclear de Bushehr, e não para projetos militares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.