Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Incêndio destrói o principal símbolo nacional da Coréia do Sul

Construído há mais de seis séculos, portão fazia parte de muralha; autoridades suspeitam de ação criminosa

Agência Estado e Associated Press,

11 de fevereiro de 2008 | 11h07

Um incêndio iniciado na noite de domingo, 10, reduziu a ruínas o Portal de Namdaemun, uma construção em madeira que era considerada o maior símbolo nacional da Coréia do Sul. Autoridades locais suspeitam de ação criminosa.  Foto:  AP Construído há mais de seis séculos, o portão fazia parte de uma muralha que protegia a capital. A estrutura de madeira erigida sobre um portão de pedras por volta de 1400 desabou quando os bombeiros tentavam apagar as chamas. A base do portal, feita de pedras, não foi afetada pelo fogo. Lee Sang-joon, um funcionário da Agência Nacional para Situações Emergenciais, disse que suspeita-se de incêndio criminoso. Mais de 360 bombeiros participaram do combate as chamas e não houve vítimas, prosseguiu Lee. A polícia, por sua vez, considera ser cedo demais para concluir a natureza do incêndio e informou que uma comissão conjunta de inspeção está analisando local, contando com especialistas de diferentes agências governamentais. "Devemos levar todas as hipóteses em considerações durante as investigações", disse Kim Young-soo, que comanda a delegacia central de Seul, encarregada do caso. Foto: AP A polícia já analisou as fitas gravadas por câmeras de quatro circuitos fechados de filmagem instaladas nas proximidades do local, mas nenhuma atividade suspeita foi detectada, informou Kim. Bombeiros encontraram dois isqueiros perto do local que consideram ter sido o ponto de origem do fogo, o que alimenta a suspeita de ação criminosa, informou a agência de notícias Yonhap citando o bombeiro Oh Yong-kyu. O investigador Kim Kyong-hwa disse que pode levar algum tempo até que a causa do incêndio seja determinada, pois é preciso ter muito cuidado para garantir que o monumento não sofra novos danos e possa ser restaurado. Cheon Ho-seon, porta-voz do presidente Roh Moo-hyun, em fim de mandato, disse que o governo lamenta da destruição do monumento cultural. O presidente eleito Lee Myung-bak visitou o local na manhã desta segunda-feira, 11, e também lamentou a destruição do Portal de Namdaemun, que dá nome ao distrito central de Seul e é uma concorrida atração turística da cidade. A estrutura de madeira havia sido reformada na década de 1960, quando o monumento foi declarado o principal símbolo nacional da Coréia do Sul. O governo construiu uma praça em torno de portal em 2005 e abriu o local para o público no ano seguinte pela primeira vez em quase um século. A visitação pública ao monumento não ocorria desde 1907, pois durante décadas o portal ficou isolado por uma linha de bonde elétrico construída pelos colonizadores japoneses, que dominaram a Península Coreana entre 1910 e 1945. A Agência de Patrimônio Cultural da Coréia do Sul informou que seriam necessários três anos de trabalho e 20 bilhões de wons (quantia equivalente a cerca de 40 milhões de reais) para restaurar o monumento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.