Incêndio em clínica de desintoxicação pode ter sido criminoso

Autoridades apontaram a hipótese de ter sido um ato criminoso a causa do incêndio que matou 45 mulheres na ala feminina de um centro de recuperação de viciados em drogas de Moscou.O canal de televisão Channel One, disse, sem citar a fonte, que há informação de que um paciente teria provocado o incêndio por não ter recebido seus medicamentos.Há poucos sinais de fogo do lado de fora do prédio, localizado em um bairro residencial de Moscou. Todas as 45 vítimas - 43 pacientes e duas funcionárias - já estavam mortas quando os bombeiros chegaram. Yevgeny Bobylyov, do departamento de incêndio de Moscou, disse que a maioria das vítimas morreu de asfixia. O sistema de segurança do local, com as barras nas janelas e portões fechados, contribuíram para a tragédia, impedindo que as vítimas pudessem escapar.O fogo começou em um gabinete de madeira em uma cozinha no fim de um corredor do segundo andar do hospital. A Procuradoria Geral disse que reparos foram feitos na cozinha um dia antes do fogo, e a imprensa russa sugeriu que a chama poderia ter sido causada por substâncias inflamáveis usadas no trabalho.A saída principal estava bloqueada por um portão trancado que outros funcionários não puderam abrir a tempo. As janelas do hospital eram equipada com barras e estavam fechadas com cadeados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.