Incêndio em discoteca mata 54 na Tailândia

Mais de 120 pessoas que festejavam passagem do ano-novo ficaram feridas

AP e Reuters, Bangcoc, O Estadao de S.Paulo

31 de dezembro de 2008 | 00h00

Um incêndio em uma discoteca na capital da Tailândia, Bangcoc, matou pelo menos 54 pessoas que estavam celebrando a passagem do ano-novo e deixou 128 feridos, disseram a polícia e as equipes de resgate.O incêndio ocorreu no clube Santika, no distrito de Thong Lor, que é uma popular área com estabelecimentos frequentados tanto por tailandeses quanto por estrangeiros, disse Vallop Janthorn, responsável da coordenação anti-incêndios de Bangcoc."Estávamos todos dançando e, de repente, uma grande labareda surgiu na frente do palco e todos começaram a correr", disse a tailandesa Oh Benjamas, que estava na rua, diante da discoteca.Dezenas de corpos estavam estendidos na calçada, esperando para ser levados para o necrotério, enquanto os bombeiros vasculhavam os destroços no clube Santika. Muitos corpos estavam tão carbonizados que não podiam ser identificados.O chefe de polícia, general Chokchai Deeprasertwit, disse que o fogo pode ter sido causado por fogos de artifício levados por clientes da discoteca. ele declarou que as pessoas morreram por causa das queimaduras, por asfixia pela inalação da fumaça ou pelos ferimentos no pisoteamento que aconteceu durante a correria. O clube tem apenas uma saída e muitas pessoas ficaram presas dentro.Thanat Wongsanga, vice-chefe de polícia do distrito, disse que a causa do incêndio ainda está sendo analisada, apesar de a mídia local dizer que as chamas teriam sido causadas por um curto-circuito.Segundo uma testemunha, Andrew Jones, sobreviventes disseram que o incêndio começou no palco após fogos de artifício serem acesos depois da meia-noite. Outra testemunha, Tos Maddy, disse que havia cerca de 400 pessoas dentro no clube quando ele ouviu uma explosão e as pessoas começaram a correr. "O fogo propagou-se rapidamente", disse.Outras pessoas disseram ter visto chamas no teto antes de ele ruir. "Eu estava no banheiro e, quando saí, o teto estava pegando fogo", disse Montika Boontang, de 28 anos. Ela foi enviada ao Hospital Bangcoc, onde a maioria dos feridos está sendo tratada.Os clubes noturnos de Bangcoc, alguns dos quais com capacidade para acomodar milhares de pessoas, costumam ser alvo de preocupação, apesar de nenhum incidente ter ocorrido nos últimos cinco anos. A capital tailandesa foi atingida dois anos atrás, na véspera do ano-novo, por uma série de pequenas explosões que deixaram vários mortos. As explosões ocorreram após o golpe de 2006 contra o primeiro-ministro Thaksin Shinawatra e em meio a uma rebelião de separatistas nas províncias do sul da Tailândia. SOBREVIVENTESOh BenjamasTestemunha do incêndio"Estávamos todos dançando e, de repente, uma grande labareda surgiu na frente do palco e todos começaram a correr"Montika BoontangTailandesa de 28 anos que estava na discoteca"Eu estava no banheiro e, quando saí, o teto estava pegando fogo"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.