Efe
Efe

Incêndio em fábrica deixa 119 mortos na China

Funcionários não conseguiram sair do matadouro; dezenas de pessoas ficaram feridas

Agência Estado

03 de junho de 2013 | 09h22

PEQUIM - Um incêndio numa fábrica de processamento de aves no nordeste da China nesta segunda-feira, 3, deixou pelo menos 119 mortos. Funcionários ficaram aprisionados no matadouro e dezenas de pessoas foram feridas no incêndio, ocorrido na cidade de Mishazi, província de Jilin.

Aparentemente, o fogo teve início com três explosões ocorridas de madrugada, informou a agência oficial de notícias Xinhua. Os bombeiros da província atribuíram as explosões a um vazamento de amônia, gás que é mantido pressurizado como parte dos sistema de resfriamento em fábricas de processamento de carne.

A emissora estatal de televisão CCTV citou funcionários, sem identificá-los, dizendo que o incêndio teve início durante uma troca de turno e pode ter começado num vestiário, num horário no qual cerca de 350 trabalhadores estavam na fábrica, de propriedade da Jilin Baoyuanfeng Poultry Co.

Não estava claro quantos trabalhadores haviam sido localizados, mas um funcionário do governo provincial, que não revelou seu nome, disse esperar que o número de mortos aumente ainda mais, na medida em que mais corpos eram retirados do prédio.

O interior "complicado" da fábrica, as saídas estreitas e o portão da frente, que estava trancado, dificultaram a saída das pessoas, disseram sobreviventes à Xinhua.

Cinquenta e quatro pessoas foram atendidas em hospitais, informou o governo provincial em sua página numa rede de microblogs. Por volta do meio-dia, o fogo já havia sido praticamente extinto pelos cerca de 500 bombeiros que se dirigiram ao local. / AP

Mais conteúdo sobre:
Chinaincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.