Antara Foto/via REUTERS
Antara Foto/via REUTERS

Incêndio em fábrica na Indonésia mata 30, entre as vítimas 3 crianças

Autoridades investigam se casa utilizada como fábrica de fósforos tinha permissão para funcionar em escala maior do que quatro funcionários, classificada como 'indústria doméstica' no país

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2019 | 18h34

JACARTA - Pelo menos 30 pessoas, entre elas três crianças, morreram nesta sexta-feira, 21, em um incêndio que destruiu uma casa que funcionava como fábrica de fósforos na província de Sumatra do Norte, no oeste da Indonésia, segundo informaram fontes oficiais.

As autoridades averiguam se as crianças estavam trabalhando ou acompanhando seus pais na fábrica e se havia mais funcionários que o permitido pela licença da empresa.

O incêndio, que já foi extinto, começou pouco antes das 12hs (2hs no horário de Brasília) na cidade de Sumber Mulyo, 40 quilômetros ao oeste da capital provincial Medan, afirmou o chefe da Agência Regional de Gestão de Desastres (BPBD) em Sumatra do Norte, Riadil Lubis.

Lubis afirmou que 28 das vítimas puderam ser identificadas, apesar de as imagens da fábrica mostradas na televisão mostrarem seu interior totalmente queimado.

As autoridades averiguam a causa do incêndio e as licenças da empresa, que armazenava líquido inflamável, já que se cogita que tivesse autorização para ser apenas uma "indústria doméstica", que permite um máximo de quatro funcionários.

"Continuamos investigando se as crianças estavam trabalhando ou simplesmente acompanhavam seus pais", afirmou Lubis em conversa por telefone.

A proprietária da casa, uma idosa identificada apenas como Ros, afirmou à uma TV local que alugava o imóvel há 4 anos para um empresário de Medan. 

O marido de uma das vítimas, Faisal Riza, disse que todas as funcionárias da fábrica eram mulheres, sendo que algumas levavam os filhos para o trabalho. 

Outro homem, Sofyan, contou que sua mulher e a filha de 10 anos morreram no incêndio e não conseguiram escapar pela porta principal porque estava trancada. O fogo teria começado pela parte de trás do local.

O chefe provincial da BPBD acrescentou que quatro dos funcionários conseguiram se salvar por estarem fora do prédio para a mudança de turno.

Em outubro de 2017, ao menos 47 pessoas morreram no incêndio em uma fábrica de fogos de artifício em Tangerang, 25 quilômetros ao oeste de Jacarta. Menores de idade que trabalhavam no local também estavam entre as vítimas. 

Os acidentes de trabalho são comuns na Indonésia devida ao alto número de trabalhadores no setor informal e a implementação frouxa de regulações no quarto país mais populoso do mundo com mais de 265 milhões de habitantes. / EFE e AP

Tudo o que sabemos sobre:
Indonésia [Ásia]incêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.