AP Photo
AP Photo

Incêndio em ônibus deixa pelo menos 42 mortos no Zimbábue

Mais de 20 passageiros do veículo ficaram feridos e polícia diz que investigação sobre o caso ainda está em andamento; jornal local afirma que vazamento de gás de botijão carregado por um dos passageiros causou as chamas

O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2018 | 11h17

HARARE - Pelo menos 42 pessoas morreram e mais de 20 ficaram feridas no Zimbábue em decorrência de um incêndio em um ônibus na cidade de Gwanda, no sudoeste do país, informaram nesta sexta-feira, 16, fontes policiais.

O acidente aconteceu na quinta-feira durante a noite, quando o ônibus de passageiros viajava pela estrada de Bulawayo rumo à África do Sul, afirmou a porta-voz nacional da polícia, subcomissária Charity Charamba, em declarações ao jornal "The Herald".

Embora as autoridades não tenham falado qual foi a causa do acidente, o veículo ficou totalmente queimado, como se observa em imagens publicadas nas redes sociais.

"Um botijão de gás de um dos passageiros é a possível causa das chamas que destruíram o ônibus", afirmou o jornal The Herald no Twitter. "Dezenas de pessoas morreram, e outras ficaram queimadas", completou o jornal.

Os passageiros começaram a respirar gás no interior do veículo e quando o motorista acendeu as luzes para ver que acontecia, o fogo começou, explicaram vários dos feridos em entrevista à televisão estatal "ZBC".

O porta-voz da polícia para a província de Matabeleland South, cuja capital é Gwanda, Philisani Ndebele, disse que as investigações do caso estão em andamento.

A Cruz Vermelha do Zimbábue foi para a área para ajudar os feridos, como publicou no seu perfil da rede social Twitter.

Na semana passada, 47 pessoas morreram em uma batida entre dois ônibus na estrada entre Harare, capital, e a cidade de Rusape, ao leste. / EFE e AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Zimbábue [África]incêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.