K.K. Productions via AP
K.K. Productions via AP

Incêndio em paiol de munição no centro da Índia deixa 17 militares mortos e 19 feridos

Acidente foi causado por uma explosão ocorrida durante a madrugada. Milhares de moradores de aldeias próximas foram transferidos para outros locais por precaução

O Estado de S. Paulo

31 Maio 2016 | 09h46

NOVA DÉLHI - Pelo menos 17 integrantes do Exército indiano morreram e outros 19 ficaram feridos nesta terça-feira, 31, depois que uma explosão desencadeou um incêndio em um grande paiol de munição no centro da Índia, informaram fontes oficiais.

O acidente aconteceu por volta da 1h (16h30 de segunda-feira em Brasília) na cidade de Pulgaon, no Estado de Maharashtra, provocando um incêndio que continua ativo, afirmaram fontes não identificadas do Exército à agência de notícias indiana PTI e ao canal de televisão local NDTV.

Entre os mortos, há pelo menos dois oficiais de alta categoria do Exército e 15 soldados, de acordo com as fontes.

Os feridos foram transferidos para hospitais mais próximos, localizados a dezenas de quilômetros, já que o paiol, um dos maiores da Índia, está em uma área isolada de alta segurança.

Segundo detalhou à NDTV Smita Patil, superintendente de polícia do distrito de Wardha, ao qual pertence Pulgaon, os 19 feridos se encontram "fora de perigo" e o incêndio, apesar de ainda não ter sido extinto, está "controlado".

Um oficial do departamento de bombeiros de Nagpur, principal cidade da região, Ramesh Barde, detalhou para a NDTV que vários caminhões dos bombeiros se dirigiram até o lugar do acidente.

De acordo com Barde, apenas às 6h15 (21h45 de segunda-feira em Brasília), após quatro horas de trabalho, os bombeiros conseguiram controlar as chamas.

Milhares de moradores das aldeias próximas foram retirados da área por precaução, segundo as fontes.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, enviou suas condolências às famílias das vítimas e anunciou em sua conta no Twitter que o ministro da Defesa, Manohar Parrikar, irá até o local do acidente.

O chefe do Exército, o general Dabil Singh, também se encontra a caminho de Pulgaon, anunciaram as Forças Armadas indianas no Twitter.

"A prioridade do Exército é conter os danos e salvar valiosas vidas com a prevenção de novos incêndios e explosões", acrescentaram as Forças Armadas da Índia, que não apresentaram nenhuma confirmação oficial sobre o número de vítimas do incêndio.

Os acidentes industriais são relativamente comuns no país em razão da falta de medidas preventivas e da pouca rigidez das autoridades na implementação das normas.

Na semana passada, pelo menos 4 pessoas morreram e outras 100 ficaram feridas em uma explosão em uma fábrica farmacêutica também no Estado de Maharashtra. /EFE

Mais conteúdo sobre:
incêndio Índia acidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.