Farjrin Raharjo/AFP
Farjrin Raharjo/AFP

Incêndio em prisão superlotada deixa 41 mortos na Indonésia

Um português e um sul-africano estão entre as vítimas fatais; o bloco C, onde ocorreu o incêndio, foi projetado para abrigar 38 presos, mas registrava 122 detentos

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2021 | 03h32

JACARTA - Um incêndio em uma prisão superlotada na Indonésia matou ao menos 41 pessoas e feriu cerca de 80 nesta quarta-feira, 8. Um cidadão português e outro sul-africano estão entre as vítimas fatais. A causa do incêndio está sob investigação, mas a suspeita é que um curto-circuito no sistema elétrico tenha iniciado o fogo. 

A ocorrência foi combatida por bombeiros durante duas horas e o efetivo policial ao redor da prisão foi reforçado para evitar a fuga de prisioneiros. Entre os 80 feridos, oito apresentam queimaduras graves, segundo as autoridades locais. 

A prisão de Tangerang, localizada a 40km de Jacarta, capital do país, tem capacidade para cerca de 1,2 mil presos, mas no momento do incidente registrava mais de 2 mil detentos, segundo informações da agência de notícias AFP. No bloco C, onde ocorreu o incêndio, estavam 122 presos - três vezes mais do que a capacidade. 

A Indonésia enfrenta em nível nacional um problema de superlotação do sistema penitenciário. A falta de recursos e o aumento do número de presos devido ao tráfico de drogas são os principais motivadores da crise. 

Ainda não há mais informações sobre a identidade dos estrangeiros mortos no incidente. Segundo as autoridades locais, são dois homens, um de Portugal e outro da África do Sul. /AFP e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Indonésia [Ásia]incêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.