Reuters
Reuters

Incêndio em submarino russo é apagado

Militares iniciaram investigação para descobrir se regras de segurança não foram respeitadas

AE, Agência Estado

30 de dezembro de 2011 | 11h31

MOSCOU - Bombeiros apagaram nesta sexta-feira, 30, um grande incêndio ocorrido a bordo de um submarino nuclear russo que estava ancorado para reparos. Promotores militares iniciaram uma investigação para descobrir se regras de segurança não foram respeitadas e o presidente Dmitry Medvedev reuniu os principais integrantes de seu gabinete para falar sobre a situação e exigir punição para os responsáveis.

O fogo começou na quinta-feira num estaleiro no ártico nas proximidades da cidade de Murmansk Oblast, noroeste russo, onde o submarino Yekaterinburg estava atracado.

O incêndio, que lançou altas chamas cor de laranja para o ar durante a noite, foi apagado na tarde desta sexta-feira, mas os bombeiros continuavam a jogar água no submarino para resfriá-lo, informou o ministro de Situações Emergenciais, Sergei Shoigu.

Sete tripulantes do submarino foram hospitalizados após terem inalado monóxido de carbono proveniente do incêndio, informou Shoigu. Um número incerto de tripulantes permaneceu no interior do submarino durante o incêndio, disse o porta-voz do Ministério da Defesa, coronel Igor Konashenkov, em comunicado. Segundo ele, não havia perigo de o fogo se espalhar pelo interior do submarino e os tripulantes informaram que as condições a bordo permaneceram normais.

O comunicado de Konashenkov não esclareceu se os tripulantes estavam presos ou receberam ordens para permanecer dentro do submarino.

Não houve vazamento de radiação por causa do fogo, disseram os Ministérios da Defesa e de Relações Exteriores. A Autoridade de Proteção contra Radiação da Noruega, do outro lado da fronteira, disse não ter registrado qualquer elevação no nível de radiação local.

Apesar disso, o governador de Finnmark, província norueguesa que faz fronteira com Murmansk Oblast, disse à emissora de televisão norueguesa NRK que ficou desapontado com a resposta russa.

"Tivemos problemas para conseguir informações claras do lado russo", disse Gunnar Kjoennoey. "Temos um acordo para a troca de informações nesses casos, mas não recebemos informações do lado russo até agora."

O Exército russo disse que o fogo teve início num andaime de madeira e que depois tomou todo o casco exterior. O reator nuclear do submarino foi desligado. Mísseis e outras armas nucleares já haviam sido retirados antes do início dos reparos.

 

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiasubmarinoincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.