Incêndio leva a denúncia contra prefeito paraguaio

O prefeito de Assunção, Enrique Riera, foi denunciado hoje na Justiça por delito de negligência, pelo funcionamento, sem permissão, do supermercado que se incendiou no início deste mês, causando a morte de mais de 400 pessoas. Pedro Marioni, advogado das vítimas, confirmou que "não apenas denunciamos Riera como também o arquiteto paraguaio Bernardo Ismachoviez por ter desenhado um gigantesco centro comercial sem saídas de emergência." "Meu cliente, um pai que perdeu a mulher e um filho, está solicitando pena de prisão para esses indivíduos, fora a indenização correspondente; também acusamos os proprietários do supermercado, Juan Paiva e seu filho Daniel, mais o sócio de ambos Humberto Casaccia, pelos delitos de homicídio doloso e omissão de socorro", afirmou o advogado. Riera, por sua vez, reiterou aos jornalistas que o supermercado Ycuá Bolaños foi construído e habilitado a funcionar durante a administração do prefeito anterior da capital, Martín Burt. "Esse supermercado foi inaugurado em outubro de 2001 e eu assumi o cargo em dezembro daquele ano. O expediente indica que havia uma habilitação provisória, sujeita a uma revisão técnica", disse o prefeito. Juan Paiva e seu filho Daniel estão detidos na penitenciária Tacumbú, na periferia de Assunção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.