Atul Loke/The New York Times
Atul Loke/The New York Times

Incêndio mata enfermeiras e 16 pacientes de covid em hospital na Índia

Chamas começaram devido a um curto-circuito na enfermaria onde são tratados os casos de coronavírus; este é o segundo incêndio a atingir um hospital na Índia em pouco mais de uma semana

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de maio de 2021 | 03h10

NOVA DELHI — Um incêndio matou 16 pacientes de covid-19 e duas enfermeiras em um hospital no estado de Gujarat, na Índia, neste sábado, 1º. As chamas começaram na enfermaria onde são tratados os casos de coronavírus e foram contidas em cerca de uma hora, mas não a tempo de evitar as mortes. Investigações preliminares apontam um curto-circuito como a causa do acidente.

“Dezesseis pacientes e dois membros da equipe morreram no incêndio. Doze deles morreram devido ao fogo e à fumaça”, disse um oficial da polícia de Gujarat. Outras 31 pessoas foram resgatadas do hospital e suas condições são estáveis.

Este é o segundo incêndio a atingir um hospital na Índia em pouco mais de uma semana. No dia 23 de abril, 13 pacientes internados com covid morreram devido a um acidente parecido em uma UTI no arredores de Mumbai. O país enfrenta seu pior surto de coronavírus desde o início da pandemia, e tem buscado intensificar uma campanha de vacinação para todos os adultos, embora alguns estados aleguem não possuir doses suficientes.

“Maior crise do século”

Neste sábado, a Índia registrou outro recorde global de casos diários, com 401.993 novas infecções. O total de testes positivos desde o início da pandemia chegou a 19,1 milhões, atrás apenas dos Estados Unidos. O Ministério da Saúde também registrou 3.523 óbitos nas últimas 24 horas, elevando o total para 211.853.

Diante de um aumento sem precedentes de casos e da lotação de hospitais e crematórios, o governo do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, descreveu a pandemia como "a maior crise do século". Ele realizou, na sexta-feira, 30, uma reunião em seu gabinete para discutir medidas capazes de salvar o sistema de saúde do país, que está em ruínas. 

Imagens de uma emissora de televisão indiana mostraram uma mulher ofegante enquanto sua família procurava um leito de hospital nos arredores de Nova Delhi. Depois de não conseguir atendimento em três hospitais, a mulher de 33 anos não resistiu e morreu no carro, como noticiou o jornal The Times of India.

Desde janeiro, quase 10% dos indianos receberam pelo menos uma dose de imunizante contra covid, mas somente 1,5% completaram o esquema vacinal, embora a Índia seja um dos maiores produtores de vacinas do mundo.

Na última segunda-feira, 26, o presidente americano, Joe Biden, conversou com Modi sobre a crescente crise sanitária na Índia e prometeu enviar assistência imediatamente. No decorrer da semana, os EUA começaram a fornecer fármacos, testes rápidos e oxigênio para o país asiático, além de materiais necessários para aumentar a produção doméstica de vacinas./AP e Reuters

 

Tudo o que sabemos sobre:
Índia [Ásia]coronavírusincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.