Incêndio na Austrália mata 84 e é o pior da história

Pelo menos 700 casas já foram destruídas e 84 pessoas morreram no pior incêndio florestal já registrado na Austrália, de acordo com autoridades locais. Cidades inteiras foram destruídas pelo fogo no estado de Victoria, no sudeste do país, onde estão concentrado os incêndios, que se espalharam pela região em função dos fortes ventos. Muitas pessoas morreram tentando fugir em seus carros. Milhares de voluntários exaustos ainda tentavam extinguir cerca de 30 focos de incêndio neste domingo em Victoria. Segundo autoridades do governo, ainda levará dias para que a situação fique sob controle mesmo que as temperaturas caiam. Eles disseram também que o exército está mobilizado para ajudar e o primeiro ministro australiano Kevin Rudd anunciou uma ajuda de emergência de 10 milhões de dólares australianos (cerca de US$ 7 milhões). Além da ajuda oficial, outros estados australianos que já foram afetados por incêndios no passado iniciaram campanhas para arrecadar fundos e mobilizar voluntários. Na região afetada, testemunhas descreveram cenas de árvores explodindo e chuva de cinzas neste sábado quando as temperaturas de 47 graus centígrados combinadas com os fortes ventos criaram condições próximas a de um forno. Segundo repórteres da AP que sobrevoaram o estado de Victoria, a cena era de devastação na cidade de Marysville e no distrito de Kinglake, a 100 quilômetros da capital do estado, Melbourne. Em Kinglake, apenas cinco casas ficaram em pé. A paisagem ficou enegrecida até o horizonte, com florestas inteiras sendo reduzidas a carvão e cinzas. Segundo a brigada de incêndio de Victoria, cerca de 2.200 quilômetros quadrados foram destruídos pelos incêndios. O pior incêndio anterior foi em 1983, quando 75 pessoas morreram em Victoria e Austrália do Sul e destruíram mais de 3 mil casas. Em 1939, 650 prédios foram destruídos e 71 pessoas morreram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.