Incêndio na Praça da Paz Celestial alarma forças de segurança em Pequim

Desastre causado pelo calor de um carro, quase destrói imagem de Mao Tsé-tung, principal símbolo Chinês

Efe,

15 de outubro de 2010 | 03h10

PEQUIM - Um incêndio junto ao retrato de Mao Tsé-tung na porta da Praça da Paz Celestial, no centro de Pequim, alarmou, nesta sexta-feira, 15, as forças de segurança chinesas, que isolaram o local durante alguns minutos.

 

O fogo foi registrado por volta das 10h30 local (23h30 de quinta-feira de Brasília) e provocou uma coluna de fumaça que rodeou a Praça e parte da Cidade Proibida à qual dá acesso. Poucos minutos depois, vários veículos da polícia, do Exército e dos bombeiros foram até o local. As forças apagaram o incêndio e isolaram o lugar, proibindo os turistas de tirar fotos ou gravar vídeos.

 

Policiais afirmaram que o incêndio foi causado "pelo calor" de um carro que passava pela Avenida de Chang An ("da Paz Eterna"). No entanto, o incidente causou grande tensão devido ao local onde aconteceu, próximo ao retrato de Mao, um dos principais símbolos do regime comunista.

 

Além disso, o incidente ocorre no mesmo dia em que o Partido Comunista da China (PCCh) inicia sua sessão plenária anual, uma reunião que despertou grande expectativa pelas vários apelos dentro e fora do partido para que seja feita uma séria reforma política no país.

 

A China também está em grande tensão por causa da concessão na semana passada do Prêmio Nobel da Paz ao dissidente chinês Liu Xiaobo, algo que suscitou apelos de grande parte da comunidade internacional para que o país avance em sua democratização.

Tudo o que sabemos sobre:
Incêndio, China, Pequim, desastre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.