Incêndios destruíram área três vezes maior que o Rio no Texas

Fogo iniciado há duas semanas já devastou 4 mil quilômetros quadrados

BBC

20 de abril de 2011 | 18h24

Chamas se aproximam de casa em Possum Kingdom, no Texas.

 

AUSTIN - Bombeiros do Texas estão tentando combater intensos incêndios que já destruíram cerca de 4 mil km² - área equivalente a mais de três vezes o território da cidade do Rio de Janeiro - nas duas últimas semanas.

Uma série de condições climáticas, como secas, altas temperaturas e rajadas de vento, tem favorecido o avanço das chamas pelo Estado. Dezenas de municípios foram evacuados, cerca de 200 casas foram destruídas, e o fogo está perto de Fort Worth, uma das maiores cidades do Texas.

O serviço florestal do Estado disse ter respondido chamados para combater mais 11 focos de incêndio na última terça-feira. Na tarde desta quarta, estima-se que 20 focos de chamas estejam em ação, segundo o jornal Austin American-Statesman. Moradores relatam que o céu em diversas cidades está coberto de cinzas.

Uma porta-voz do serviço florestal disse ao periódico que um inverno rigoroso, combinado com um mês de março extremamente seco, produziu "uma abundância de grama alta e morta", onde o fogo proliferou com facilidade.

Previsões

O serviço climático nacional dos EUA espera aumento da umidade e redução dos ventos no Estado na próxima semana, previsão apresentada como "boa notícia para as operações anti-incêndio". O corpo de bombeiros do Texas está recebendo auxílio de socorristas de outros 34 Estados americanos para responder às ocorrências.

Na semana passada, governador do Estado, Rick Perry, havia mandado mensagem ao presidente americano, Barack Obama, dizendo que o Texas estava "chegando à sua capacidade limite de responder à emergência" e precisava de ajuda federal.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
EUATexasincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.