Incêndios em fábricas no Paquistão matam ao menos 314

Duas fábricas nas cidades paquistanesas de Karachi e Lahore pegaram fogo na noite de terça-feira, causando a morte de pelo menos 271 pessoas, afirmaram autoridades nesta quarta-feira. Muitos não conseguiram escapar porque os locais não possuíam saídas de emergência e equipamentos de segurança básicos, como alarmes e extintores.

AE, Agência Estado

12 de setembro de 2012 | 09h02

Até agora foram retirados 289 corpos dos destroços de uma fábrica de roupas em Karachi, o centro econômico do Paquistão. Bombeiros ainda estão tentando apagar as chamas. A maior parte das mortes foi por sufocamento, pois funcionários que estavam no subsolo não conseguiram sair e a fumaça tomou conta do local. Os administradores da fábrica fugiram e estão sendo procurados pela polícia.

O trabalhador Mohammad Ilyas contou que escapou pulando de uma janela. "Nós corremos em direção às janelas, mas barras de ferro nos impediram de escapar. Alguns logo pegaram ferramentas e máquinas para quebrar as barras de ferro e assim conseguimos pular para o térreo". Ele machucou sua perna ao saltar e falou do hospital onde está internado.

O outro incêndio aconteceu em uma fábrica da calçados em Lahore. 25 pessoas morreram queimadas ou sufocadas. O fogo começou quando, após um blecaute, funcionários tentaram ligar o gerador do local. O aparelho soltou faíscas que entraram em contato com produtos químicos, iniciando a tragédia. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoincêndiosfábricas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.