Incêndios florestais ameaçam subúrbios de Sydney

Chispas e cinzas caíram hoje em Sydney, depois que as chamas de vários incêndios florestais cruzaram um rio e várias estradas e avançam em direção aos subúrbios da cidade. Dois idosos morreram e 19 casas foram destruídas pelos incêndios florestais nos últimos dois dias. O céu na cidade australiana de 4 milhões de habitantes está cheio de fumaça devido aos incêndios que avançam para o norte, noroeste e sudoeste. As chamas começam a cercar os subúrbios. Pelo menos 79 focos de incêndio varrem o estado de Nova Gales do Sul, onde arrasaram cerca de 70 mil hectares de bosques e planícies, com especial fúria nos arredores de Sydney. Segundo o chefe do Serviço Rural de Bombeiros, Phil Koperberg, os avanços de orientação imprevisível dos incêndios se deve à falta de umidade na vegetação, por causa da seca. Os bombeiros vêm advertindo há meses que Sydney poderia enfrentar uma devastadora temporada de incêndios florestais durante o verão no Hemisfério Sul. Quase 90% do território da Austrália foram declarados zona afetada pela seca - que em algumas partes do país é a pior em um século.

Agencia Estado,

06 Dezembro 2002 | 14h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.