Incêndios florestais destroem mais de mil casas no Texas

Desde novembro, fogo devastou mais de 1,5 milhão de hectares; 4 pessoas morreram nos últimos dias

, O Estado de S.Paulo

07 Setembro 2011 | 00h00

WASHINGTON

Mais de mil casas foram destruídas pelos cerca de 60 incêndios florestais que se espalharam pelo Estado do Texas. Segundo o governador Rick Perry, a diminuição da temperatura e da força dos ventos pode ajudar no trabalho de contenção das chamas, mas não há indícios de que o fogo seja contido em breve. "A situação é crítica", disse Perry.

O Texas sofre uma das piores secas desde a década de 50. No domingo, na cidade de Gladewater, uma mulher de 20 anos e sua filha de 18 meses morreram quando um incêndio atingiu o trailer onde viviam. Outras duas pessoas morreram ontem.

O Serviço Florestal do Texas afirmou que quase 600 das casas queimadas ficavam no condado de Bastrop, a 40 quilômetros de Austin, capital do Estado. Pelo menos 5 mil pessoas foram retiradas de suas casas e mais de 400 estão em abrigos emergenciais. As aulas foram canceladas e os desabrigados foram alojados em escolas. Não há relatos sobre feridos e as autoridades texanas não têm informações sobre moradores isolados em suas casas. Desde novembro, mais de 1,5 milhão de hectares do Texas foram devastados por 22 mil incêndios florestais, que causaram danos de mais de US$ 5 bilhões ao setor agrícola. Apenas nos últimos sete dias, foram registrados 181 focos de incêndio.

Nos arredores de Houston, o fogo já queimou mais de 20 casas e destruiu 650 hectares. Os condados de Montgomery e Grimes estão em risco. Mais de 4 mil casas foram esvaziadas na região.

Perry, um dos pré-candidatos favoritos na corrida presidencial republicana, cancelou au participação em um debate de do partido previsto para segunda-feira, na Carolina do Sul, e deve cancelar outro marcado para hoje na Califórnia.

O governador do Texas disse ontem que espera ajuda federal para combater os incêndios florestais e criticou o fato de a brigada de incêndios da base militar texana de Fort Hood, a maior do país, não participar do combate às chamas.

"Se o grupo está na região e não se torna parte da solução, transforma-se em um problema", afirmou Perry. Mais de 2 mil bombeiros tentam conter os incêndios no Estado. Muitos já foram hospitalizados por queimaduras e excesso de trabalho. / REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.