Jeremy Piper/EFE/EPA
Jeremy Piper/EFE/EPA

Incêndios na Austrália foram iniciados por homem que queria salvar colheita de maconha, diz polícia

Quatro pessoas morreram em queimada que dizimou mais de um milhão de hectares no litoral do país

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2019 | 04h06

Um homem é acusado de iniciar deliberadamente os incêndios não controlados que assolam a costa leste da Austrália para proteger sua safra de maconha. Quatro pessoas perderam a vida e 300 casas pegaram fogo como resultado da queimada que varreu mais de um milhão de hectares no litoral do país nos últimos dias. 

A polícia disse que o homem de 51 anos foi acusado de iniciar os incêndios intencionalmente, na cidade de Ebor, em New South Wales, na tentativa de proteger seu cultivo de cannabis.

Tudo começou com um suposto incêndio na última quinta-feira, 14, para queimar arbustos - uma prática usada pelos bombeiros para limpar o chão que alimenta os incêndios. Segundo a polícia, o homem não fez nada para tentar apagar o fogo.

O incêndio do Ebor afeta uma área de cerca de 10.000 hectares e continua a queimar três dias depois. As autoridades acreditam que os incendiários estão por trás de outros incêndios em Nova Gales do Sul e em Queensland, e pediram ajuda à população na tentativa de impedir mais culpados. No domingo, houve 130 incêndios ativos nos dois estados, alimentados pela grande seca que aflige o país. /AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Austrália [Oceânia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.