AP Photo/Armando Franca
AP Photo/Armando Franca

Incêndios na região central de Portugal obrigam retirada de mais de 130 pessoas de suas casas

Segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil do país, 970 bombeiros, 280 veículos terrestres e 15 meios aéreos foram mobilizados para conter as chamas

O Estado de S.Paulo

17 Agosto 2017 | 12h18

GUARDA, PORTUGAL - Um total de 133 pessoas foram retiradas de suas casas ao longo da madrugada desta quinta-feira, 17, em razão de um incêndio que permanece sem controle. Nas últimas horas, as chamas estiveram próximas de várias aldeias da comarca de Mação, situada na região central de Portugal e pertencente ao distrito de Santarém.

Segundo informou a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) de Portugal, foram mobilizados 970 bombeiros, 280 veículos terrestres e 15 meios aéreos para combater as chamas, alguns procedentes de Espanha e Marrocos.

"A situação é difícil em termos de combate", afirmou a porta-voz da ANPC, Patrícia Gaspar. O "complexo" incêndio, que começou durante a madrugada, mantém várias frentes ativas em uma região de bosques de pinheiro e eucalipto.

Um trecho da rodovia A-23 foi fechado durante a madrugada, mas já foi reaberto ao tráfego. Contudo, em razão das chamas, um trecho da estrada nacional N-243 continua fechado.

Durante o combate aos incêndios registrados na última semana, 79 pessoas ficaram levemente feridas e 7 se encontram em estado grave. O incêndio mais devastador da história do país deixou 64 mortos e mais de 250 feridos em junho na região de Pedrógão Grande. / EFE e AFP

Mais conteúdo sobre:
Portugal [Europa] Incêndio Bombeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.