Incidente com helicóptero dos EUA deixa 13 mortos em Bagdá

Militantes iraquianos lançaram forte ofensiva na Zona Verde, região onde se localiza a Embaixada dos EUA e os escritórios do governo iraquiano em Bagdá, destruindo um veículo militar norte-americano. Os quatro tripulantes do veículo escaparam com ferimentos leves. O carro foi cercado por populares que comemoram a destruição do veículo Bradley com um estandarte de um grupo liderado pelo terrorista Al-Zarqawi, um dos líderes da Al-Qaeda. Segundo testemunhas, um helicóptero Apache dos EUA disparou contra a multidão que comemorava a destruição do veículo. O correspondente da rede de TV Al-Arabiya morreu no ataque. Um cinegrafista iraquiano que trabalha para a agência Reuters também se feriu. Um vídeo da TV Al-Arabiya mostra o correspondente Mazen al-Tumeizi sendo atingido por uma explosão e gritando "Estou morrendo, estou morrendo". O major Phil Smith, porta-voz da Primeira Divisão da Infantaria dos EUA disse que o helicóptero disparou contra o veículo atingido para destruí-lo "a fim de garantir a segurança das pessoas que o cercavam". Saad al-Amili, funcionário do Ministério de Saúde Pública afirmou que 13 pessoas morreram e 55 ficaram feridas, todas elas no incidente com o helicóptero, na rua Haifa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.