Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Incidente deve elevar tensão entre Cabul e Washington

Cenário: Gustavo Chacra

O Estado de S.Paulo

12 de março de 2012 | 03h04

O massacre de ontem em Kandahar é o terceiro incidente neste ano de uma série que contribuiu para elevar a tensão entre os Estados Unidos e o Afeganistão depois de mais de dez anos de ocupação. Em todos os casos o governo de Barack Obama pediu desculpas. O presidente lamentou quando soldados americanos urinaram em corpos de civis afegãos e após a queima acidental de exemplares do Alcorão. Agora, também deplorou o massacre de16 civis.

O presidente Hamid Karzai, por sua vez, enfrenta o Taleban que se fortalece quando estes episódios acontecem. O Taleban disse ontem que o ataque a tiros é o mais recente sinal de que as forças internacionais estão contra o povo afegão. O tom de Karzai precisa ser duro o suficiente para tentar manter o apoio da população. Mas não pode chegar ao ponto de irritar os americanos, que bancam seu regime.

Obama, que indicou não ter intenção de mudar seu cronograma de retirada do país até 2014, precisa agora tentar garantir a segurança de suas forças no Afeganistão. Estes episódios agravam o risco para as dezenas de milhares de jovens americanos estacionados no país. Seis deles foram mortos por afegãos depois da queima do Alcorão. As tensões entre os dois países pareciam ter se reduzido com a assinatura, na sexta-feira, de um acordo de transferência de prisioneiros. Mas o ataque de ontem pode travar a aplicação do acordo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.