Incursão militar israelense deixa 14 mortos em Gaza

Soldados israelenses invadiram um campo de refugiados no sul da Faixa de Gaza nas primeiras horas desta segunda-feira, deixando 14 palestinos mortos e 72 feridos. A incursão, promovida na véspera de um histórico debate no Parlamento de Israel sobre a retirada de colonos judeus e soldados da Faixa de Gaza, foi desencadeada para conter disparos de morteiro contra colônias judaicas próximas, alegou o Exército israelense. A violência no território palestino litorâneo aumentou consideravelmente depois que o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, divulgou sua intenção de retirar tropas e colonos de Gaza. Os militantes palestinos tentam mostrar que estão expulsando os soldados israelenses; o Exército de Israel reforça a repressão para deixar claro que sai de Gaza por vontade própria. Dezenas de veículos blindados israelenses invadiram o campo de refugiados de Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza, numa operação militar para reprimir disparos de foguetes rústicos e morteiros contra assentamento na região. Três membros dos serviços palestinos de segurança estão entre os mortos de hoje, assim como dois homens armados e um menino de 11 anos. Dos mais de 70 feridos, 17 tinham menos de 18 anos.

Agencia Estado,

25 Outubro 2004 | 13h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.